sábado, 13 de abril de 2013

Senhorio de Jesus

             O amor incondicional de Deus por cada um de nós nos impulsiona a trilhar um caminho de conversão diária. Contudo, mesmo a certeza desse amor não é suficiente para promover em nós a mudança de determinadas atitudes. E por que isso acontece? Existem diversa razões, mas queremos destacar duas das mais importantes: a falta de cura interior, da qual trataremos na próxima semana, e a influência do mal na nossa vida com a consequente necessidade de assumirmos o Senhorio de Jesus, que é o nosso assunto de hoje.
            Ser senhor significa ser o dono. Quando aceitamos Jesus como Senhor da nossa vida, O colocamos como o centro, a razão do nosso viver, nosso “dono”. Em Filipenses 2, 6-11 encontramos as razões para ter Jesus como Senhor: no Seu infinito amor, Ele assumiu as consequências dos nossos pecados, pela obediência e humildade, morrendo por nós e garantindo a nossa salvação, portanto “toda língua confesse: Jesus é o Senhor” (Fil 2, 11).
             O Senhorio de Jesus nos torna mais livres, porque é um senhorio pelo amor. Ao contrário, quando nos rendemos ao pecado e nos deixamos influenciar pelo mal, nos tornamos cada vez mais escravos, mais presos. Da mesma forma que tentou Jesus (Lc 4, 1-12), o inimigo de Deus procura, quase sempre de maneira velada, disfarçada, nos influenciar e dominar a nossa vida pela busca do Prazer, do Poder e do Possuir. O consumismo, os modismos, os vícios, o erotismo, os desvios da sexualidade, a busca pela fama e pelo poder, o desejo de conhecer o futuro, e tantas outras atitudes que surgem quando consentimos com as três grandes tentações (prazer, poder e possuir), são as formas que o príncipe deste mundo tem utilizado para nos desviar de Jesus e, assim, nos aprisionar e dominar.

             Urge, portanto, queridos irmãos, uma atitude radical e confiante da nossa parte. Pelo livre arbítrio, Deus conservou em nós a liberdade de escolha. Desta forma, para ter Jesus como centro das nossas ações, devemos renunciar ao pecado e ao inimigo de Deus, com todas as suas artimanhas e influências, e aceitar de livre vontade o Senhorio de Jesus, proclamando e testemunhando esta decisão na nossa vida.
             Roguemos a Maria, nossa Mãe, que nos ajude a ser firmes e corajosos na nossa decisão de, como Ela e junto com Ela, proclamar com a própria vida: Jesus é o Senhor!
 
Texto: Jorge Gurgel - Membro do Conselho da RCC Fortaleza e membro da Comunidade Nova Unção.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Com a benção materna de Maria, Nova Unção na sua vida.

Leia mais: